terça-feira, 22 de agosto de 2017

#ConexãoCristã - A PALAVRA "BÍBLIA" ESTÁ NA BÍBLIA?

domingo, 20 de agosto de 2017

Lula está na Bahia. João Dória no Rio Grande do Norte. Dória vai almoçar num restaurante em Natal e teve protesto contra ele. Seus correligionários revidam com frases contra Lula. Aí postaram o vídeo no Youtube como se Lula tivesse sido expulso de um restaurante... E quem tem ódio de Lula acredita. E compartilha. E... deixa pra lá.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

LAI - Quanto de cloro e flúor é adicionado à água de Tatuí?

Solicitação: Verificando no Relatório Anual de Qualidade da Água - 2016, da SABESP, encontrei que o padrão de potabilidade com respeito ao cloro é de 0,2 mg/L a 5,0 mg/L. Gostaria de saber o quanto é aplicado na água que recebo pelo Sistema de Abastecimento ETA Tatuí. Seria possível saber também da adição de Flúor?

17/08/2017
Prezado Rubens Antônio da Silva,
A sua solicitação de acesso a documentos, dados e informações, de protocolo 410861712078, data 02/08/2017, FOI ATENDIDA.
Órgão/Entidade: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo
SIC: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP

Resposta: Prezado Rubens Antônio da Silva; Em atendimento à sua solicitação segue resposta da área responsável:

O tratamento e a distribuição de água em Tatuí visam ao atendimento dos padrões de potabilidade da Portaria do Ministério da Saúde 2914/11. Conforme constatado pelo cliente, a concentração de cloro no cavalete deve estar em no mínimo 0,2 mg/L e no máximo em 5 mg/L. Mensalmente é possível constatar nas contas de água essas concentrações, não apenas para o cloro residual livre mas também para os parâmetros básicos operacionais. A concentração de cloro residual livre é acompanhada continuamente em vários endereços do município, através de visitas de técnicos capacitados. A concentração de cloro irá variar de um local para outro, mas sempre atendendo as exigências de máximo e mínimo da lei. Portanto, a concentração média é igual a 1,8 mg/L. Já a concentração de flúor, que também possui valores máximo e mínimo de 0,8 e 0,6 mg/L respectivamente, encontra-se nesse município em torno de 0,72 mg/L.

Atenciosamente
SIC SABESP

Amaranto africano é PANC

Foto: Rubens Oficial
Fiz a foto acima na Rua Nhonhô da Botica, quarteirão entre as ruas Sete de Abril e Tamandaré. Uma bela folhagem. Quando pesquisei para saber o seu nome, fiquei muito feliz por se tratar de uma PANC, ou seja, uma planta alimentícia.

Seu nome científico é Celosia argentea L. Popularmente é conhecida por Celósia, Amaranto africano, Amaranto roxo, Espinafre africano, espinafre rajado, Rabo de gato etc. Gosto de saber todos os nomes populares porque cada um dá informações sobre a erva. Celósia porque é o nome atribuído a ela pelo pesquisador. Amaranto porque se parece com essa família de plantas alimentícias que dão boa semente. Africano porque é comum na África. Roxo e rajado pela sua coloração. Espinafre porque se come como o espinafre, ou seja, cozido, refogado ou em omeletes, nunca crua. Rabo de gato pela aparência de suas flores.

Anoto aqui que ainda não comi essa planta. Quando o fizer, edito este artigo. Veja abaixo outros textos sobre ela.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Canafístula é medicinal!

Foto: Rubens Oficial

Foto: Rubens Oficial

Conheci esta árvore na frente do Fórum de Tatuí. Procurei saber o nome e cheguei à conclusão de que se tratava de uma cássia. Estava certo. Seu nome científico é Cássia spectabilis ou Senna spectabilis. Mas somente há pouco tempo soube que se tratava de uma canafístula. Outros nomes populares são: fedegoso, mata-pasto e são joão. Mas acho melhor menosprezar esses nomes porque confundem com outras espécies. Melhor chamá-la de cássia, cássia do nordeste, cássia macranta, cássia macrantera ou macrantera. Preferencialmente, canafístula. Uma árvore da família das leguminosas.

O que eu gostei mesmo foi saber que se trata de uma planta medicinal e sem toxidade. Forjaz diz que ela é muito utilizada como medicamento no nordeste do Brasil. No interior de São Paulo é vista apenas como ornamental.

As folhas podem ser utilizadas em infusões como laxante leve, antioxidante, analgésica, anti-inflamatório, calmante, sonífera, antiepilético, antimalárica, antitumoral para o fígado e previne o alzheimer.

As flores - que maravilha! - são indicadas como antialérgico para rinite, bronquite ou alergias da pele. Também é remédio para leishmaniose.

A casca é utilizada contra gripes e resfriados e como antioxidante. Acho que não vou fazer esse agravo à planta. Prefiro as folhas.

Os frutos verdes são indicados como antioxidante e anti-inflamatório.

As sementes dos frutos maduros, reduzidas a pó, são usadas para emagrecimento, para baixar o colesterol e contra úlceras.

Agora, é colher as folhas, lavá-las, secá-las na sombra e guardá-las para uso oportuno. Ah, vou esperar a época da floração com ansiedade. Ela dá tantas flores, que algumas delas não vão fazer falta ao pé. Acho que descobri mais um tesouro da natureza.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Chapéu de Praia

Foto: Rubens Oficial

Foi assim que aprendi em Tatuí a chamar essa bela árvore que oferece uma das melhores sombras: chapéu de praia. Mas ela é chamada em outros lugares de Chapéu de sol, Sete copas, Castanheira da praia, Amendoeira da praia etc. Poderia se chamar também castanheira de morcego. Pelo que sei, a única coisa que faz com que algumas pessoas não queiram essa árvore é porque ela atrai morcegos, que amam seus frutos.

Na foto acima, que fiz na praça da Concha Acústica, a folha está verde, mas se o pé for antigo, como na frente da Escola João Florêncio ou do Conservatório de Tatuí, as folhas passam para o amarelo e depois para o vermelho. Higienizei, sequei e usei em chás. Tem várias indicações terapêuticas, mas o diferencial é sua capacidade de estimular a produção de colágeno.

O fruto maduro (na foto está verde) pode ser comido. Tem sabor agradável, mas não é todo mundo que gosta. Tem um polpa muito lenhosa, mas vale pelo valor alimentício e farmacêutico. A castanha que há no seu miolo é saborosa, mas de pouco conteúdo, embora muito rica em nutrientes.

Experimentei de todas as formas e fiquei fã.  Ah, o nome científico dela é Terminalia cattapa. Ela não era usada medicinalmente no Brasil até que o pesquisador Daniel Forjaz revelou toda sua riqueza.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Acróstico automático


(acrosticos.org)

                     Respingo, alegre, no meu ambiente,
     Uma nobre queda novamente.
          Bando servil de sangue brilhante
        E as pinças de círculo fervente.
Na minha arte cor errante,
        Sangue crescendo diariamente.

O site acrosticos.org produz acróstico com o nome que você sugerir. Por curiosidade, inseri lá meu nome. Ficou como está acima. :)