domingo, 25 de junho de 2017

Aranto


ARANTO - O aranto é muito conhecido como Mãe de Mil Filhos, isto devido à facilidade de se espalhar. O vento leva suas sementes e ele nasce por todo lado. As flores  formam a copa do aranto. São cachos de muitas flores muito pequenas, de 1 a 2 centímetros de comprimento.

O aranto é utilizado como remédio anticâncer. Como se trata de uma planta muito tóxica, recomenda-se o uso de apenas uma folha por dia. Eu não recomendo o seu uso. Acho interessante como ornamental e para uso em banho de cães e gatos, para eliminar pulgas e outros parasitas.

A foto acima é do meu próprio herbário. Nome científico: Kalanchoe Daigremontiana.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

LAI - Pedido de informações: Atas das sessões da Câmara

À Câmara Municipal de Tatuí

Informações da Solicitação

Protocolo: 38615616

Tipo de Manifestação: Informação/Solicitação

Resumo: Atas das sessões

Descrição: Como posso ver as atas das sessões da Câmara? Elas estão no site?
Rubens Antônio da Silva

Data da Solicitação:19/05/2017

29/05/2017
Informações sobre acesso ao sistema de SIC
Descrição: Encaminhado ao Setor Competente para as devidas providências
Data da Atualização: 29/05/2017 15:51:44


14/06/2017
Prezado Sr. Rubens, boa noite!

Em atenção à solicitação contida no protocolo nº 38615616, informamos que o nosso Setor de Tecnologia da Informação já está tomando providências para que, à partir do próximo mês, sejam disponibilizadas no site desta Casa de Leis todas as atas das sessões ordinárias e extraordinárias realizadas no corrente exercício.

Atenciosamente,

Adilson Fernando dos Santos
Diretor Geral Administrativo

LAI - Sugestão: Wi-Fi na Câmara

À Câmara Municipal de Tatuí

Protocolo: 27307335

Tipo de Manifestação: Sugestão

Resumo: Wi-Fi na Câmara

Descrição: Sugiro que a Câmara disponibilize sinal de Wi-Fi aberto para a população que frequenta as sessões da Câmara, assim como em outras utilizações do prédio, como nas audiências públicas, com o fim de possibilitar consultas e anotações online. Também para que o cidadão que visita os gabinetes dos vereadores possam utilizar esse serviço de forma gratuita. Agradeço pela atenção. Rubens Antônio da Silva

Data da Solicitação:22/05/2017



29/05/2017
Status: Concluído
Descrição: Encaminhado ao Setor Competente para as devidas providências
Data da Atualização: 29/05/2017 15:52:33



14/06/2017

Prezado Sr. Rubens, boa noite!

Agradecemos a sugestão contida no protocolo nº 27307335 e informamos que a mesma foi encaminhada ao Setor de Tecnologia da Informação desta Casa para a análise devida.

Atenciosamente,

Adilson Fernando dos Santos
Diretor Geral Administrativo

terça-feira, 6 de junho de 2017

LAI - Existe um rol dos agraciados com os títulos de cidadãos tatuianos e beneméritos na Câmara?

Lei de Acesso à Informação - LAI

Órgão solicitado: Câmara Municipal de Tatuí

Data da Solicitação:17/05/2017 11:42

Resumo da Solicitação: Títulos de cidadania tatuiana - rol

Detalhamento da Solicitação: Gostaria de saber como é possível acessar o rol de pessoas que receberam o título de cidadão tatuiano e também de Cidadão Emérito.

Data da Resposta: 06/06/2017 

Prezado Sr. Rubens, boa tarde!

Em atenção à solicitação contida no protocolo nº 27041411, informamos que os Títulos de Cidadania Tatuiana e de Cidadão Emérito ou Benemérito são concedidos através de DECRETO LEGISLATIVO, os quais podem ser encontrados no site da Câmara Municipal (www.camaratatui.sp.gov.br), através do link LEGISLAÇÃO.

Atenciosamente,

Adilson Fernando dos Santos
Diretor Geral Administrativo

Conclusão: não existe um rol dos agraciados com os títulos de cidadania ou de benemerência. Portanto, há um grau maior de dificuldade para o estudo histórico. 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Depois do jogo, levei o Neymar à Coop

Foto de Marcelo Afonso

Curso do projeto Dia de Cooperar, do Sescoop

Evento ocorreu na Coop Cel. Seabra, dia 01/06/2017, das 14 às 16h30.

Estive representando a ong Amatatuí - Amigos Associados de Tatuí

Diversas entidades beneficentes estiveram representadas

Participaram os maestros José Coelho de Almeida e Marcelo Afonso, do Pró-Arte 

Curso foi ministrado por Silvia Rodrigues, analista de projetos do Sescoop

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Cata-frases

“Na verdade eu fui muito agredido com aquele negócio do helicóptero. Eu não faço nada de errado, eu só trafico drogas”.

Senador Zezé Perrella, em conversa gravada com Aécio Neves, referindo-se ao caso da aeronave encontrada pela Polícia Federal em 2013 com 445 quilos de cocaína. O helicóptero pertencia à empresa Limeira Agropecuária, de Gustavo Perrella, filho do senador.

domingo, 28 de maio de 2017

Almoço beneficente do movimento Voto Consciente Jundiaí

De vermelho, jornalista Cláudia M6uller
Na ponta da mesa, Roberto Mangieri; à direita, Roberto Mangieri Junior

Fátima Figueiredo e Thuany Figueiredo

Bruno Dal'Mora canta durante almoço.

Rubens Oficial e Renato Passini

Rubens e Renato

Equipe Voto Consciente Jundiaí

Natália Rick, Roberta Mangieri e Livia Maria Siqueira

Feijoada do Voto atinge meta! Vem aí Cidadonos Rock e fórum de entidades populares


VOTO CONSCIENTE JUNDIAÍ - Com a participação dos novos voluntários e a presença do público que sempre prestigia suas ações, o Movimento Voto Consciente de Jundiaí realizou no último domingo (28) sua tradicional feijoada beneficente na Associação dos Aposentados do Município para o financiamento da Ficha Pública 2018. Elaborada e organizada inteiramente pelos voluntários, este ano a feijoada ganhou um tom mais informal e mais participativo. Agora o Voto se prepara para o Cidadonos Rock, marcado para o segundo semestre, além de um fórum de entidades populares de Jundiaí, ainda em elaboração, que visa fortalecer a rede de apoiadores para a apresentação de novas propostas voltadas à consciência cidadã. O mapeamento dessas entidades, coletivos e movimentos será lançado em junho, segundo o organizador e voluntário Rafael Regatieri.

No evento as integrantes da área de Eventos, Lívia Maria Siqueira e Natália Rick, agradeceram a presença maciça dos colaboradores e apontaram algumas características da Ficha Pública, que é editada em anos de eleição. Elas explicaram que a publicação é distribuída gratuitamente e registra as promessas dos candidatos, possibilitando que o cidadão possa cobrá-las diretamente aos eleitos. Lívia lembrou que esse trabalho é possível também graças ao acompanhamento feito todas as terças-feiras pelos voluntários nas sessões ordinárias da Câmara, quando se elabora, através de prontuário, um controle do trabalho dos vereadores, como projetos relevantes, atuação e presença em plenário, entre outros.

“Hoje o Voto Consciente tem também outras áreas, como a de Educação, de Eventos, do Projeto Cidadonos e de Comunicação”, afirmou. Natália lembrou, por outro lado, que o movimento comemorou 10 anos em 2016, quando o grupo arrecadou verba para a impressão de 15 mil Fichas Públicas. Além de citar as realizações do Voto nesse período – como oficinas e palestras a jovens de várias escolas e o concurso Cidadonos, que premia as melhores ideias para transformar Jundiaí em uma cidade melhor – Natália agradeceu a participação dos novos integrantes. “Eles trazem novas ideias e sangue novo ao grupo”, finalizou. As voluntárias agradeceram também a Associação dos Aposentados, que sempre cede seu salão para os eventos do Voto, à família Sutti e sua adega, ao músico jundiaiense Bruno Dal’Mora e ao especialista em som Maurício Schiavi Júnior.

Apoiadores

“Recebi o convite para participar desse evento e o encarei – além, é claro, de poder rever amigos queridos – como uma chamada à ação e um instrumento para a conscientização política. Jundiaí está de parabéns por ter pessoas que alicerçam a cidadania”. Essa foi a resposta dada pelo analista de sistemas Rogério Ribeiro, que participou pela primeira vez, a entrevista feita durante a feijoada. Outros presentes, como os comerciantes Mário Luís de Oliveira e Isabel Martins de Oliveira, disseram acreditar na seriedade do trabalho realizado pelo Voto. “Quantas vezes pudermos colaborar, estaremos junto”, afirmou Isabel, a Bel da padaria Thaty Pães, que sempre distribui a Ficha Pública no balcão do seu estabelecimento. Prestigiaram a feijoada também os representantes da ONG Amatatuí, Renato Passini e Rubens Antônio da Silva, que trocam ideias com o Voto Jundiaí para fundar, naquela cidade, um movimento nos mesmos moldes.

Texto: Cláudia Muller
Foto: Felipe Martinelli

Fomos a Jundiaí dar apoio ao movimento Voto Consciente

Renato conversa com Márcia, que esteve em Tatuí para o workshop Ficha Pública 
Representando os Amigos Associados de Tatuí - Amatatuí, estive em Jundiaí, no domingo, 28 de maio, com o companheiro Renato Passini para apoiar o Movimento Voto Consciente Jundiaí. O Voto Consciente promoveu a sua já tradicional feijoada beneficente para reunir apoiadores e apresentar os projetos deste ano. A confraternização aconteceu na Associação dos Aposentados de Jundiaí e Região. A arrecadação do evento será direcionada para o financiamento das atividades do grupo, como a impressão da Ficha Pública 2018 – instrumento de conscientização política distribuído para todos os jundiaienses. 

A feijoada, feita pelos próprios voluntários, é completa. O cardápio incluiu arroz, couve, farofa, salada e, pela primeira vez, conta com opção vegana, muito bem aceita pelo público. 

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Cata-frases

"Vamos recorrer. Discordamos e cremos que isso [absolvição de Cláudia Cruz] decorre muito mais de um coração generoso do doutor Sérgio Moro na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa sabidamente ligada à corrupção".

procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.

sábado, 20 de maio de 2017

Papel da imprensa local é debatido em mesa-redonda no ‘P. Setúbal’

História de dois tatuianos também foi lembrada em semana nacional

Por O Progresso de Tatuí - 20/05/2017

O papel da imprensa tatuiana tornou-se tema de discussão na noite de quinta-feira, 18, no MHPS (Museu Histórico “Paulo Setúbal”). Profissionais de diversos setores da comunicação debateram sobre o assunto com estudantes da Escola Estadual “Chico Pereira”. O encontro integrou a programação local da 15ª Semana Nacional de Museus.

A atividade – a quinta agendada no âmbito municipal em celebração ao evento – teve início às 19h, no auditório da casa de cultura. A mediação ficou a cargo do jornalista e historiador Christian Pereira de Camargo.

Ele apresentou os profissionais que compuseram mesa-redonda a convite do diretor do Departamento Municipal de Cultura, Rogério Vianna. O secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, também acompanhou a conferência, junto a professores.

Iniciada com explicação, por Vianna, a respeito do propósito do evento, a mesa-redonda teve como participantes: André Aguiar, radialista da Central de Rádio; Flávio Pavanelli, profissional de marketing digital; Rubens Antonio da Silva, do blogue “Diário de Tatuí”; e Cristiano Mota, jornalista do jornal O Progresso de Tatuí e de “O Progresso Digital”.

Vianna explicou que a atividade integra uma temporada cultural promovida em todo o país pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus). Neste ano, o museu de Tatuí participa com exposições, apresentações teatrais, músicas e apresentações de “reclames” antigos (comerciais) de televisão.

Em todas as ações, a temática é “Comunicação Ontem – Hoje – Amanhã”. Dentro deste mote, o museu convocou os profissionais para abordarem os desafios da comunicação, da transmissão da informação e a influência da internet no modo como as notícias são produzidas e repassadas aos cidadãos.

Na mesa-redonda, a programação também incluiu a trajetória profissional de dois tatuianos: o radialista Antonio Del Fiol (Toninho Del Fiol) e o jornalista Maurício Loureiro Gama, ambos com importância nacional, tendo o primeiro falecido em 7 de julho de 2002 e o segundo, em 2 de agosto de 2004.

Descrito como homem do rádio, Del Fiol se tornou o mais famoso garoto-propaganda da televisão brasileira ao estrelar campanhas publicitárias do Mappin. Permaneceu, por décadas, sendo o porta-voz da loja de departamentos fundada em 1913 e que encerrou as atividades no ano de 1999.

Del Fiol também ocupou a posição de principal locutor do “Jornal da Manhã”, na Rádio Jovem Pan (AM). O programa é considerado o primeiro jornal falado de rede nacional do rádio brasileiro, tendo o tatuiano como âncora por mais de 30 anos.

O radialista local trabalhou na divulgação de marcas como Pão de Açúcar, Extra e Jumbo Eletro para Abílio Diniz. Também atuou com profissionais do município, como Pereira de Camargo, quando este atuava no início de carreira.

A trajetória jornalística de Loureiro Gama teve menção pelo repórter de O Progresso. Mota apresentou um breve resumo a respeito do primeiro âncora de telejornal do país.

Loureiro Gama iniciou a carreira em Tatuí, aos 17 anos, escrevendo textos em O Progresso. Depois, colaborou com o jornal “Integração” e, em São Paulo, ingressou no “Diários Associados”, fundado por Assis Chateaubriand.

Dirigiu o “Diário da Noite”, atuou como cronista do “Diário de São Paulo” e registrou passagens pelos jornais “Correio Paulistano”, “Gazeta” e “Clarín”, da Argentina. Na televisão, inaugurou o telejornalismo da TV Tupi, em 19 de setembro de 1950.

Na sequência às citações, os profissionais responderam a perguntas feitas pelo mediador e pela plateia. Instigados por professores, os estudantes do ensino médio questionaram sobre o processo de produção de notícias (fontes de informações) e influência da internet no conteúdo e na publicidade.

Rubens Antonio da Silva descreveu sobre o projeto criado por ele de compartilhamento de reportagens publicadas por outros veículos de comunicação.

Aguiar esclareceu dúvidas relativas à programação, canais para comunicação com o público e posturas sobre assuntos como posicionamento em períodos eleitorais e denúncias eventualmente apresentadas.

O tema também foi explanado pelo representante de O Progresso, que tratou sobre a importância da credibilidade dos veículos tradicionais (como o impresso).

Mota citou, ainda, o investimento recente feito pela empresa de comunicação na modernização do sistema on-line, por meio de “O Progresso Digital”.

Já Pavanelli promoveu reflexão a partir do papel da internet na comunicação digital. Ele ainda discutiu sobre o papel do leitor como agente ativo, quando repassa um conteúdo recebido por meio de compartilhamento.

Trouxe para o debate, também, o conceito da “info-obesidade” (excesso de informação). A questão recebeu atenção de Aguiar e considerações de Pereira de Camargo.




Vista do Pico do Itapeva, em Pindamonhangaba SP

























Embora pertença ao município de Pindamonhangaba, SP, o acesso é feito por Campos do Jordão, SP. Deste ponto é possível distinguir a olho nu quatorze cidades do Vale da Ribeira. 

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Mesa Redonda no Museu debateu a Comunicação: ontem, hoje e amanhã

Rubens Oficial / Diário de tatuí

Dentro da programação da 15ª Semana Nacional de Museus, o Museu Histórico Paulo Setúbal realizou na noite desta quinta-feira, dia 18, uma Mesa Redonda debatendo o tema Comunicação Ontem, Hoje e Amanhã.  Mediado pelo historiador e jornalista Christian Pereira, participaram do colóquio como convidados:  Cristiano Mota, jornalista de O Progresso de Tatuí, representando a mídia escrita; Rubens Antônio da Silva, jornalista do Diário de Tatuí, representando a mídia digital; André Aguiar, radialista da Central de Rádio, representando a mídia sonora; e Flávio Pavanelli, profissional de Marketing Digital. A mídia televisiva seria representada pela TV TEM, mas não compareceu. A plateia lotada contou com alunos da Escola Chico Pereira,

Rubens Oficial / Diário de Tatuí

Musicoterapia

Houve um tempo em que estive muito interessado em musicoterapia. Encontrei no meu arquivo uma relação que fiz de músicas calmantes, relaxantes e digestivas. É, digestivas. Transcrevo a seguir.

Calmantes:
  1. Canto Índio, de Rimsky-Korsakov.
  2. Ave, Maria, de Schubert.
  3. Ária, da Suíte nº 3, de Bach.
  4. Réquien, op. 48, de Fauré.
  5. Sonhos, de Schumann.
  6. O Cisne, de Saint-Saens.


Relaxantes:

  1. Largo, de Haendel.
  2. Serenata, de Schubert.
  3. Hino ao Sol, de Rimsky-Korsakov.
  4. Sonho de Amor, de Liszt.
  5. Fantasia e Fuga em Sol Menor, de Bach.
  6. Renascimento da Harpa, de Stivell.
  7. Concertos de Oboé, de Vivaldi.
  8. Clair de Lune, de Debussy.
  9. O mar, de Debussy.
  10. Adágio, de Debussy.
  11. Flauta Romântica de Pan, de Zamfir.

Digestivas:


  1. Concerto de Flauta, de Vivaldi.
  2. Concerto de Oboé, de Vivaldi.
  3. Concerto de Harpa, de Haendel.
  4. Trios de Corda, de Mendelssohn.
  5. Música para a Mesa, de Telemann.
  6. Concerto para Flauta e Harpa, de Mozart.

Agora, vou ouvi-las para conferir.

Serra da Mantiqueira em dia nublado


terça-feira, 25 de abril de 2017

Cata-frases

"Quem acompanha o processo de delação sabe que há um tipo de indicação por parte dos investigadores e dos promotores para que determinadas pessoas sejam citadas. Portanto, há um tipo de negociação, de falar aquilo que o outro quer ouvir."

(Gilmar Mendes, Ministro do STF,  sobre as recém-divulgadas delações dos executivos da construtora Odebrecht, em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da Rádio Bandeirantes. - ConJur)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Beldroega: observações


A Beldroega eu já consumia há muito tempo, em saladas. O naturalista Daniel Forjaz afirma que ela é mais rica em ômega 3 do que a linhaça, o que a torna muito interessante na alimentação. É macia e bonita, servindo para vasos ornamentais. Seu nome científico é Portulaca Oleracea. Essa fotografia eu fiz numa rua próxima da Santa Casa de Tatuí. 

Bênção-de-Deus: observações


Aprendi esse nome Bênção de Deus com o naturalista Daniel Forjaz. Aqui em Tatuí ela é mais conhecida por Beldroega da Folha Grande. Há quem a chame ainda de Ora-Pro-Nobis (mas não é), Língua de Vaca, Maria Mole, Maria Gorda etc. O nome científico dessa planta é Tanilum Paniculatum. Ela é facilmente encontrada nas ruas, mas desse jeito está sujeira a fumaça de caminhão, urina de cachorro etc. Mas dá para conseguir a muda. Colhi esse ramo no mato. Comi em salada mista e também refogado. É bom. Uma conhecida me disse que ela é remédio para labirintite. É uma PANC - plantas alimentícias não convencionais, que eu gosto de conhecer..

domingo, 16 de abril de 2017

Cata-frases

"...Nunca recebi contas no exterior, não tem um único delator que possa dizer que me deu qualquer quantia, de que forma seja. Não recebi por meio de parente, por meio de terceiras pessoas. A acusação contra mim sempre vai ser: 'Ah, ela sabia'. Por que sabia? 'Por que tinha que saber'."

(Presidenta Dilma Rousseff, em entrevista à BBC)

terça-feira, 11 de abril de 2017

Cata-frases

Quando menino saiu do Nordeste para buscar água... e voltou trazendo um rio.

Ivone Nascimento, falando de Lula.

Cata-frase

“Hoje estamos vendo uma fraude de R$ 170 bilhões…que R$ 50 bilhões foi para garantir o impeachment”.

Senadora Kátia Abreu, em 5/7/16

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Cata-frases

"[Investigar vazamentos em delações de executivos da Odebrecht na operação Lava Jato] “é quase como se fosse uma caça a fantasmas”.

Sérgio Moro, juiz federal de Curitiba

domingo, 9 de abril de 2017

Cata-frase

Não se pode negar que a recessão econômica e a remoção da presidente eleita pelo impeachment foram fatores desencadeantes de tais políticas [de perda de direitos, precarização das relações empregatícias, abrandamento das normas celetistas e endurecimento das regras para a aposentadoria].

Ricardo Lewandowski - ministro do Supremo Tribunal Federal e Professor Titular de Teoria do Estado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

sábado, 8 de abril de 2017

Cata-Frase

"O povo não quer [as reformas] e os congressistas vivem de voto. [Membros do Governo] Estão propondo suicídio político." 

(senador Roberto Requião, PMDB-PR)

sábado, 1 de abril de 2017

Educadores e alunos ocuparam Matriz, realizaram passeata e viajaram para São Paulo

Professores de 7 escolas entram em greve. Educadores e alunos ocuparam Matriz, realizaram passeata e viajaram para São Paulo
Cristiano Mota

01/04/17 - Da reportagem de O PROGRESSO DE TATUÍ

Cristiano Mota 

Acompanhados por estudantes e membros de sindicatos locais, docentes realizaram passeata no município

Professores de sete escolas estaduais de Tatuí entraram em greve no fim de março. Os profissionais deflagraram paralisação que durou quatro dias, resultou em ocupação da Praça da Matriz, passeata pelas principais ruas do município e terminou com participação de um grupo de docentes em protesto na capital.

O movimento teve início na terça-feira, 28, e terminou na sexta, 31. Ele teve como propósito chamar a atenção da população para medidas iniciadas pelo governo federal: a reforma da Previdência – ainda em discussão – e o projeto de lei da terceirização. Este último, aguarda sanção do presidente da República, Michel Temer.

A paralisação local, no entanto, pode ser prorrogada, conforme explicaram as professoras Ana Maria das Dores, que leciona história, e Raquel Aparecida Vivi Convento (português e inglês). Apoiadas pelo movimento estudantil e pelo Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos de Tatuí e Região), elas encabeçaram protesto que levou para São Paulo 70 professores.

“Trata-se de uma iniciativa dos professores da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), que começou em Tatuí”, disse Raquel.

De acordo com a educadora, docentes de várias cidades da região são atendidas pela unidade de Tatuí. A partir do engajamento dos profissionais do município, os demais vinculados à associação decidiram engrossar o movimento. Tanto que Itapetininga aderiu à paralisação somente no último dia do ato.

Em Tatuí, os professores cruzaram os braços entre a terça e a sexta-feira, seguindo determinação da Apeoesp. As datas haviam sido definidas no dia 15 deste mês quando um grupo de professores da cidade foi até São Paulo para participar de assembleia. Eles também integraram protestos na Avenida Paulista.

“Nós estamos vinculando a paralisação com o calendário da reforma da Previdência”, contou Raquel. Segundo a professora, no dia 15, os educadores de todo o Estado convencionaram que fariam o movimento nos quatro dias. O motivo é que a votação da reforma estaria prevista para acontecer no período.

Seis dias depois, no dia 21, o presidente da República anunciou a retirada dos servidores estaduais e municipais da reforma. “Cancelaram, só que está comprovado que a retirada é inconstitucional, porque simplesmente não dá para fazer isso”, disse.

A avaliação dos professores é que o governo federal apenas “lançou a ideia” na esperança que os profissionais em todo o país recuassem e desistissem de se mobilizar. Para Ana Maria, a estratégia da presidência da República falhou. “Prova disso é a presença de mais de cem mil professores na Paulista em São Paulo no dia 15. Não parava de chegar gente”, disse.

Na cidade, a greve foi deflagrada nas escolas “Deócles Vieira de Camargo” e “Chico Pereira” – ambas no centro – e “Semíramis Turelli Azevedo”, no Jardim Tóquio; e “Lienette Avalone Ribeiro”, no Parque Santa Maria, “Fernando Guedes de Moraes”, no Jardim Lucila, “Ary de Almeida Sinisgalli”, na vila Esperança; e “José Celso de Mello Filho”, no CDHU (Conjunto de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) “Orlando Lisboa de Almeida”.

O movimento nas três primeiras registrou participação de todos os professores. Nas demais, houve paralisação parcial, com aulas realizadas em períodos alternados. Na “Ary”, por exemplo, as aulas pararam somente no dia 31.

Ao todo, 130 – dos 250 professores atendidos pela unidade da Apeoesp em Tatuí – aderiram ao movimento. Parte dos educadores viajou para São Paulo na sexta-feira. Os docentes deixaram o município às 10h, rumo à capital, para participar de assembleia que vai decidir se a greve será mantida ou não.

A categoria é contra a reforma da Previdência por entender que ela “vai afetar todos os brasileiros”. Conforme Raquel, a questão principal é que os trabalhadores não vão conseguir mais se aposentar com 100% da contribuição. Além disso, os professores temem perder o direito à aposentadoria especial.

“Nós trabalhamos muito com o intelecto, com jovens e com barulho. Com 65 anos de idade, não teremos mais a mesma agilidade de pensamento que as crianças exigem. Nós nos mantemos atualizados, mas a questão é que como isso será possível daqui a 20 anos, como fazer isso tendo artrite?”, questionou Ana Maria.

A professora acrescentou, ainda, que os professores sofrem com os efeitos do exercício da profissão. Em especial, com desgastes da voz e por causa de movimentos repetitivos. Também disse que os docentes resolveram encampar o movimento no município porque têm obrigação moral e ética de despertar a consciência dos cidadãos.

“O povo não sabe o que é a reforma da Previdência. Pode até saber o que acontece no jogo de futebol, na novela, mas no país, parece que as pessoas estão dormindo. Então, como parte intelectual do país, nós saímos à luta primeiro”, afirmou.

Para a professora, é exatamente pela importância da categoria que o governo federal teria tentado “fazer uma manobra” perto da apreciação. “Não é à toa que quiseram parar o movimento”, declarou, referindo-se ao anúncio feito por Temer de que os servidores estaduais e municipais estariam excluídos.

Ana Maria defendeu uma ampla mobilização por parte dos professores, especialmente, para defender os direitos dos trabalhadores braçais. Na avaliação da professora, nenhuma pessoa terá condições de exercer função insalubre até os 80 anos, idade a qual ela estima que a aposentadoria possa ser integral.

De acordo com ela, a exigência de 49 anos de contribuição e a eliminação da diferenciação das regras para homens e mulheres inviabilizaria novas aposentadorias.

“Ninguém começa a trabalhar aos 16 anos e fica fixo no emprego pelo resto da vida. Então, é desumano fazer isso com o povo brasileiro. Os jovens que estão saindo das faculdades e vão começar a trabalhar nunca vão se aposentar”, argumentou.

Além da passeata, os educadores realizaram ação de mobilização dos pais e responsáveis pelos estudantes. Entre a terça e a sexta-feira, os docentes chamaram os representantes até as unidades para explicar para eles o propósito da greve. “Eles entenderam o motivo e todos nos apoiaram”, acrescentou Raquel.

Os professores também indicaram abaixo-assinado virtual, contra a reforma da Previdência. Disponibilizaram, ainda, um microfone com caixa de som para ser utilizado pela população. O servidor público estadual aposentado Rubens Antônio da Silva fez uso do equipamento instalado no centro da Praça da Matriz.

“Eu me aposentei em janeiro, mas vim dar suporte para o que as pessoas estão reivindicando, porque tenho amigos, filhos, parentes. Não é porque eu não estou mais na ativa que o problema está resolvido”, comentou ele, à reportagem.

Silva declarou que considera as medidas anunciadas por Michel Temer como “um golpe contra o povo brasileiro”. Ele avaliou que as medidas integrariam um “programa derrotado nas últimas eleições”, afirmando que os projetos haviam sido propostos pelo então candidato à presidência, o tucano Aécio Neves.

O oficial de Justiça aposentado alegou, ainda, que as afirmações feitas pela equipe do governo federal de que a Previdência estaria em risco caso medidas não fossem adotadas não se sustentam. De acordo com ele, a União não estaria contabilizando todas as entradas de recursos. “É uma conta irreal. Se somarmos tudo, teremos um superávit e não um déficit”, complementou.

Também presente à manifestação, o vereador Eduardo Dade Sallum (PT) afirmou que o movimento é uma resposta da cidade ao “governo ilegítimo de Temer”. O parlamentar citou que a reforma trabalhista também precisa ser combatida e defendeu a participação de mais vereadores em protestos por direitos.

Conforme ele, a função de um edil vai além de somente pedir emendas parlamentares para deputados estaduais e federais. Sallum disse que os recursos solicitados para melhorias de saúde e infraestrutura, por exemplo, não são suficientes para garantir um novo patamar de vida a quem reside no município.

Para ele, os parlamentares locais devem também cobrar dos mesmos deputados que votem contra as reformas. “Não adianta ficar trazendo emendas, sendo que as verbas obrigatórias passam por convênios que foram reduzidos por uma PEC (proposta de emenda à Constituição)”, alertou.

Sallum participou da passeata que atraiu perto de 150 pessoas. O vereador avaliou que o número de manifestantes mostra que a população está começando a entender melhor os direitos e a se engajar na busca por ações efetivas.

“Queira ou não queria, essa manifestação coloca Tatuí numa rota de discussão nacional extremamente importante para os nossos dias”, comemorou.


sábado, 11 de março de 2017

AMATATUÍ - Workshop sobre Plano Diretor - 11mar17

Palestrante: Davison Pinheiro. Convidado especial: vereador Nei Loko. Presenças: Vladimir Ferreira, Fernanda Ramos, Wanderlei Lorenzon, Rubens Oficial, Luís Antonio Gallego, Cláudio Campos, Natanie,..


quinta-feira, 9 de março de 2017

"O ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atua no governo do presidente Michel Temer mesmo de dentro da cadeia, onde está desde setembro." (Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB no Senado)

segunda-feira, 6 de março de 2017

Cata-Frases: FHC

"A desmoralização de pessoas a partir de 'verdades alternativas' é injusta e não serve ao país. Confunde tudo e todos." (Fernando Henrique Cardoso)

sábado, 4 de março de 2017

Projeto de Ficha Pública

Uma comissão de cinco ou sete membros será formada pela entidade promotora da Ficha Pública para avaliação de desempenho dos vereadores. O projeto pode ser estendido ao prefeito do município. Neste caso, o projeto servirá apenas para atribuir-lhe o conceito de A a E, pois não haverá ranking. Porém, trataremos aqui apenas com os parlamentares. A pontuação será lançada numa ficha pública na internet para acompanhamento da população. Serão avaliados atos como proposituras de leis, requerimentos, indicações, votos, uso da tribuna, prestação de contas, comunicação com a população etc.

O ato do legislador receberá um conceito de impacto social: A, B, C, D ou E, sendo A o mais importante e o E o menos relevante. Junto a esse conceito de impacto acompanhará um sinal positivo (-) ou negativo (-) para o que for bom ou prejudicial à comunidade. A participação do vereador será confrontada com o conceito do ato e sua nota será definida na seguinte forma matemática: mais (+) com mais (+) = mais (+), menos (-) com menos (-) = mais (+), mais (+) com menos (-) = menos (-); e menos (-) com mais (+) igual a menos (-). Exemplos: Vereador votou não (-) a um projeto excelente (+), receberá conceito negativo (-). Votou não (-) a projeto danoso à comunidade (-), receberá conceito positivo (+). Assim por diante.

O autor da propositura terá seu conceito multiplicado por três, seja positivo ou negativo. Assim, um projeto ótimo para a cidade renderá três vezes o conceito A+ para o autor ou autores e uma vez A+ para quem votou favoravelmente, assim como uma vez A- para quem votou contra. O autor de um projeto muito danoso para o município receberá três vezes o conceito A-; para quem votou contra atribui-se o conceito A+; e a quem votou favoravelmente um conceito A-. Assim por diante. A abstenção será considerada negativa. 

A simples presença nas sessões da Câmara não implica em vantagem ao vereador. Sua avaliação se dará de acordo com a sua atuação. a denominação de logradouros e prédios públicos não renderá pontos, a menos que se trate de resgate histórico ou reconhecimento incomum.

Na avaliação final ou parcial do vereador, sua pontuação obedecerá ao seguinte critério: A = 16 pontos, B = 8, C = 4; D = 2; e E = 1, que podem ser positivos ou negativos, subtraindo-se estes daqueles. Na publicação do ranking constarão os dez melhores vereadores ou como a entidade decidir. Na elaboração dos Conceitos, a nota deve ser balanceada, observando aspectos positivos e negativos da proposta.

O vereador ou seu representante (assessor de gabinete, advogado ou procurador) poderá pedir reconsideração dos conceitos ou apresentar novos trabalhos legislativos para serem apreciados. A comissão é soberana para decidir por maioria simples.

O membro da comissão que agir de forma duvidosa, tendenciosa ou que tenha comprometimento com algum partido ou vereador poderá ser substituído a critério do presidente da entidade a qualquer tempo.

Jantar no restaurante japonês Taro Sushi de Tatuí

Com meu amor

Jantar no restaurante Taro Sushi. Rubens com Zélia, Leonardo, Maéli, Joice, Edson, Lara e Diego.

Participação no Mandato Compartilhado do vereador Eduardo Sallum

Djalma Matias, Rubens Oficial, Kelvin de Morais, Laércio, Eduardo Sallum, Odailson Toth, Rita Toth, Guiherme, Profª Fátima. Foto de Marinho.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Cata-Frases

"Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada". 

(senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo Temer no Congresso, ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, ao se referir à proposta de restringir o foro privilegiado para processos judiciais envolvendo agentes públicos)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

cata-frases

Toda a sociedade quer punição. Precisa estar em um patamar muito elevado de desenvolvimento social para uma sociedade não querer punição. Essa sede de sangue é própria do ser humano. Nós somos destrutivos.

Roberto Tardelli — ex-procurador de Justiça do MPSP, no Consultor Jurídico, 12/02/2017

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Amatatuí: Workshop sobre Fichas Públicas

Tivemos hoje, sábado 11/02/2017, pela manhã, na Praça CEU, um treinamento (workshop) dado por Márcia Pires,do coletivo Voto Consciente Jundiaí, sobre Ficha Pública (ou avaliação de atuação do desempenho dos detentores de cargos eletivos, vereadores e prefeito. Márcia esteve assistida pela jornalista Cláudia Müller, também da V C Jundiaí. Participaram, da Amatatuí: Vladimir Ferreira (presidente da Comissão Provisória), Fernanda Ramos (secretária da CP), Wanderley Lorenzon (tesoureiro da CP), Rubens Oficial (vice-tesoureiro da CP), Luís Antônio Gallego, Sérgio Santos, Renato Passini, Rita Montori, Sandra Campos e Fábio Catel

Márcia Pires (VC Jundiaí), Fernanda Ramos, Vladimir Ferreira, Rubens Oficial, Fábio Catel, Sandra Campos, Sérgio Santos, Wanderley Lorenzon
Sérgio Santos, Renato Passini, Luís Antônio Gallego, Rita Montori, Wanderley Lorenzon, Sandra Campos, Márcia Pires (VC Jundiaí), Rubens Oficial, Vladimir Ferreira.

Sérgio Santos, Renato Passini, Luís Antônio Gallego, Rita Montori, Wanderley Lorenzon, Sandra Campos, Márcia Pires, Cláudia Müller (jornalista VC Jundiaí), Fernanda Ramos, Vladimir Ferreira e Fábio Catel.

Márcia Pires (palestrante Márcia Pires, VC Jundiaí), Cláudia Müller (jornalista VC Jundiaí), Fernanda Ramos e Vladimir Ferreira. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2017