domingo, 12 de abril de 1981

esta rua


Fosse meu este caminho,
plantaria meu carinho
pra você nele passar.
Ao chegar na minha esquina,
um sinal lhe diz - menina,
contramão é retornar.

Olharia então os lados:
os casais estacionados,
não havia um só lugar.
Ficaria pois contente
ao notar dentro da gente
um coração a esperar.

Essa rua imaginária,
sutil, extraordinária,
brilha com tanto fulgor,
que, uma vez por ela entrando,
some toda a angustia vã do
peito. Esta rua é o amor.

Tatuí, 12,04.1981

esta rua


Fosse meu este caminho,
plantaria meu carinho
pra você nele passar.
Ao chegar na minha esquina,
um sinal lhe diz - menina,
contramão é retornar.

Olharia então os lados:
os casais estacionados,
não havia um só lugar.
Ficaria pois contente
ao notar dentro da gente
um coração a esperar.

Essa rua imaginária,
sutil, extraordinária,
brilha com tanto fulgor,
que, uma vez por ela entrando,
some toda a angustia vã do
peito. Esta rua é o amor.

Tatuí, 12,04.1981

quinta-feira, 2 de abril de 1981

a inspiração chegou

Dá-me a caneta
que a inspiração chegou.
Abre-lhe a porta, a maçaneta,
dá-lhe o sentimento que restou.

Pede-lhe que faça um poema disso tudo
(tudo isso é quase nada...)
e, no papel, meu sentimento mudo
cai todo em pranto pela minha amada.

Que, pela vida, os meus ais secaram.
Nada mais tenho a dizer, sozinho.
Nas ilusões todos me deixaram
e elas seguiram no mesmo caminho.

Tatuí, 02.04.1981