segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Emoções negativas bloqueiam o raciocínio

(Rubens Oficial)

No livro A Libertação da Vontade, o dr. Norberto Keppe ensina que o raciocínio humano não consegue chegar à realidade quando passa, ou melhor, quando é bloqueado pelos sentimentos da inveja, ódio ou rancor. Acrescento aqui o preconceito. São emoções negativas que rechaçam a aceitação da verdade. 

Para o homem viver honestamente, é indispensável a incorporação do amor. Este sim é o sentimento da ética, que canaliza o raciocínio para a realidade, corrigindo distorções. É aquele momento em que se diz “é verdade mesmo”, “isso é verdade”, “isso não podemos negar”, “você está certo”.

O amor joga fora o egoísmo e permite a percepção do que ocorre ao redor. O homem movido pelo amor é o “sal da terra”, a “luz do mundo”.

Muitas tragédias foram evitadas graças à simples presença de alguém portador do sentimento do amor. Muitas outras poderiam ter sido evitadas se se desse oportunidade ao amor.

Todo ato resultante do raciocínio deturpado pelo ódio, pelo rancor, pela inveja ou preconceito resulta em caos, em desinteligência, em comoção, num círculo vicioso de destruição da humanidade.

domingo, 22 de novembro de 2015


[O amor] não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. (I Cor 13.6)
Posted by Rubens Antônio da Silva on Domingo, 22 de novembro de 2015

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Qual a diferença entre instrumento e ferramenta?

(Rubens Oficial)

Elas parecem sinônimas e muitas vezes são. Mas sabemos quando é melhor utilizarmos uma ou outra palavra. Ambas são de origem latina: "instrumentu" e "ferramenta", assim mesmo. 

Ferramenta é um objeto físico ou virtual de que lançamos mão para possibilitar a execução de uma obra. Instrumento é um meio ferramental ou não através do qual se executa uma obra. Deu pra entender? Não?

Vamos tentar esclarecer melhor: a ferramenta é um acessório, enquanto o instrumento é um meio.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Qual a diferença entre residência e domicílio?

(Rubens Oficial)

Costumamos ver nos contratos a expressão “residente e domiciliado em tal endereço”. Mas, não é redundante? Residência e domicílio não é a mesma coisa? Parece mas não é.

Residência é o local onde a pessoa mora, onde passa a maior parte do seu tempo. Domicílios são os locais onde a pessoa tem compromissos jurídicos. A residência quase sempre é um domicílio, isto porque temos compromisso com os fornecedores de água e esgoto, energia, telefone, com os impostos... Mas você pode morar em hotéis, albergues...

Agora, geralmente temos mais de um domicílio. Além de nossa residência, temos nosso local de trabalho ou locais de trabalho. Muitos têm casas de campo, apartamentos no litoral etc.

Lembre-se que a cidade onde você tem compromisso de votar nas eleições é o seu domicílio eleitoral, assim não esquece que domicílio é todo local onde você tem compromissos jurídicos.