sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Aniversário do Marco Antonio na Central de Mandados

Rubens e Marco Antonio de Oliveira, o aniversariante.

sábado, 6 de setembro de 2014

Ensinei meus filhos de que não há dia para se dar presente. Pode-se presentear quem queremos bem a qualquer dia do ano, inclusive nos dias comemorativos, dia dos pais, das mães, das crianças, natal...
O que não existe é dia de receber presentes. Se houver obrigação de se dar algo a alguém e o direito de recebê-lo, então o significado se perdeu. Seria como o salário mensal dos trabalhadores, sem qualquer perfume de amizade ou consideração, mas simplesmente uma troca.

Como é gostoso ser lembrado por alguém quando nada se espera! Sentir a aura do amor fraternal.  

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

O otimista, o pessimista e o negador

É comum ver uma pessoa chamada de pessimista responder que está sendo apenas realista.

Pois vejamos: a figura mais conhecida de definição do pessimismo e otimismo é aquela do copo d'água. O otimista diz: o copo está meio cheio. O pessimista: o copo está meio vazio. Nesse caso, tanto um como o outro estão sendo realistas, apenas com foco diferente.

Então concluímos que um vê o que há de bom e o que de bom pode ainda ser realizado, enquanto o outro foca no negativo que há o que poderá vir a ser. O primeiro fica feliz e motivado pelas suas expectativas, enquanto o segundo somente reclama e pouco age, como que paralisado com medo do resultado ruim que poderá advir.

Mas, pior que o pessimista é o indivíduo negador. Aquele que não vê água nenhuma no copo, que nega a realidade. É meio caminho andado para a psicose.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

VELHO TEMA I (Vicente de Carvalho)


Só a leve esperança, em toda a vida,
Disfarça a pena de viver, mais nada;
Nem é mais a existência, resumida,
Que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
Sonho que a traz ansiosa e embevecida,
É uma hora feliz, sempre adiada
E que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos,
Árvore milagrosa que sonhamos
Toda arreada de dourados pomos,

Existe, sim: mas nós não a alcançamos
Porque está sempre apenas onde a pomos
E nunca a pomos onde nós estamos.