quarta-feira, 31 de março de 2010

você é perfeccionista? cuidado.

PERFECCIONISMO

Se você sempre acha que nada do que faz está bom o bastante, saiba que tanta autocrítica pode acabar com o seu bem-estar. Os perfeccionistas inveterados têm uma ideia irreal do que seja um desempenho aceitável e por isso vivem insatisfeitos. Essas pessoas protelam as tarefas, refazem-nas inúmeras vezes e dificilmente conseguem concluí-las dentro do prazo. Aprenda a respeitar as limitações e as escolhas individuais.


UM DRIBLE NA OBSESSÃO

         Observe se a sua mania de perfeição está incomodando as pessoas com as quais você convive pessoal e profissionalmente.
         Durante qualquer atividade, tente focar na qualidade da sua produção, e não na opinião alheia.
         No trabalho, aprenda a discernir a cobrança que faz sentido daquela que não tem a menor importância.
         Ao cometer erros, não os esconda de ninguém. Um feedback de colegas e amigos pode ajudá-lo a lidar com as falhas.
         Seja mais flexível e lembre-se de que é impossível agradar a todo mundo.
         Se o perfeccionismo estiver prejudicando a sua vida, é o caso de procurar ajuda especializada.

VÁLVULA DE ESCAPE

         Quando a autocrítica do perfeccionista extrapola o bom senso, é o corpo que sofre. Em situações extremas, que culminam em doenças como transtorno obsessivo-compulsivo, é preciso lançar mão de antidepressivos para tratar os sintomas. Mas o que costuma ser realmente eficaz é a terapia cognitivo-comportamental, que consiste em expor o paciente, de forma gradual, às situações que o afligem, para ajudá-lo a livrar-se de vícios de comportamento e a refletir sobre o distúrbio. (Marcos Mercadante)

Saúde! 298

segunda-feira, 29 de março de 2010

achados... UMA SAUDAÇÃO (Paulo Setúbal)

Em sua edição de 14 de janeiro de 1923, o extinto jornal humorístico Ridendo, de Tatuí, publicou esta saudação em versos do famoso escritor Paulo Setúbal.


UMA SAUDAÇÃO

A ti "Ridendo" travesso,
- Guri de prendas tão lindas,
Eu, com orgulho, agradeço
Teus votos de boas vindas!

Vi, com o melhor dos sorrisos,
Que és alegre e sem farofa:
Chocalhas, bem alto, os guizos
Da boa e fina galhofa.

A graça, leve e macia,
Em ti borbulha, em ti ferve:
Tens o ferrão da ironia,
Tens o estilete de "Verve"...

Sem ódio nem malquerença,
Hás de viver, meu pequeno,
Pois teu riso é sem ofensa,
Teu espinho é sem veneno...

E sendo assim, leve e fino,
Eu te desejo, oh! "Ridendo",
Todo um brilhante destino,
Todo um futuro estupendo!


Tatuí, 6 de Janeiro de 1923

PAULO SETÚBAL

domingo, 28 de março de 2010

Orquestra Sinfônica ou Filarmônica?

O termo Sinfônica faz referência a uma consonância de sons. Em outras palavras, uma orquestra sinfônica é um grupo de músicos que tocam juntos, em harmonia. E o que seria, então, a Orquestra Filarmônica? Bem, o termo "filarmônica" diz respeito ao sustento de uma orquestra. Se ela é filarmônica, então é mantida por uma sociedade de amigos ou uma entidade privada. Em oposição, com o tempo, Orquestra Sinfônica passou a ser o nome de um grupo mantido por uma instituição pública, o governo de um País, de um Estado, a prefeitura de uma cidade. Mas, no final das contas, uma Orquestra Filarmônica também é sinfônica, já que nela os músicos também tocam juntos, em harmonia.
Do Guia Médico Unimed comemorativo Tatuí, Capital da Música.

sexta-feira, 26 de março de 2010

e o selo vai para... VANILDA FIUZA, de My Nature World

Este selo tem a finalidade de homenagear os comentaristas que, além da assiduidade dos comentários e do esmero com que são feitos, provocam-nos a necessidade de refletir, aprender e - sobretudo - que instigam almas e mentes à procura de conhecimento e sabedoria.

ESCOLHIDO:
http://my-natureworld.blogspot.com
My Nature World, de Vanilda Fiuza

Os comentaristas agraciados escolherão blogs com as características acima, adicionando-o ao espaço que convier.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Parceria com a Unesp levará Educação Ambiental às escolas




Parceria entre as Secretarias Municipais da Educação e do Meio Ambiente e a Unesp (Universidade Estadual Paulista) – Campus Experimental de Sorocaba visa efetivar a Educação Ambiental na Rede de Ensino Municipal. Assim, a cidade recebe o “Programa de Educação Ambiental nas Escolas e a Política dos Três Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar)”. Segundo a secretária da Educação, Marisa Fiusa Kodaira, “o objetivo do programa é a inserção da Educação Ambiental nas escolas municipais, através de projetos que abordem a Política dos Três Rs - redução de consumo, reutilização de matérias e incentivo à coleta seletiva para reciclagem. O programa visa atingir professores, alunos e funcionários, além da comunidade da região da escola”, explica a secretária. O programa será aplicado em três etapas. Na primeira, foram levantados dados por cinco estagiários de Engenharia Ambiental da Unesp, coordenados pelo professor Roberto Wagner Lourenço. Em seguida, professores da rede municipal, que na primeira etapa responderam a um questionário e foram selecionados para o programa, participam de um curso de capacitação de 40 horas, divididas em cinco sábados, na Escola Municipal de Ensino Fundamental “José Tomás Borges”. Ao final do curso, os professores elaborarão projetos que serão aplicados em suas respectivas escolas. A terceira etapa consiste no monitoramento pela Unesp do desenvolvimento dos projetos dos professores. Coordenada por Wagner Lourenço, a equipe da Unesp é composta pelos alunos Beatriz Antunes Justo Ferreira, Humberto José Camargo Filho, Rodrigo Brezolim Buquera, Vanessa Alves Mantovani e Vinicius Pedreira Coimbra.

domingo, 14 de março de 2010

as palavras sofrem: COMEMORAR

Você talvez já tenha sido surpreendido por um Testemunha-de-Jeová em seu portão com convite para a comemoração da morte de Jesus. Comemorar a morte de Jesus? Pois é, talvez seja de mau gosto, mas está correto. Comemorar significa relembrar, recordar, rememorar em conjunto com outros. Mas, popularmente, é usado no sentido de festejar. Acho melhor deixar a palavra nesse sentido, para evitar mal entendidos.

sábado, 6 de março de 2010

kiwi

Ainda criança, tive um álbum de figurinhas chamado Bicholândia e ali conheci um pássaro da Nova Zelândia chamado kiwi. Achei-o feio: arrepiado, arredondado e que nem sabia voar.

Muitos anos depois, li com interesse uma matéria da revista Seleções sobre uma fruta de origem neozelandesa chamada kiwi. Na fotografia, ela aparecia cortada, mostrando uma polpa verde brilhante com pintas pretas, uma verdadeira joia. E a reportagem falava de sua qualidade nutritiva, riquíssima em vitamina C. Hoje sei que um único kiwi contém todo o ácido ascórbico que a gente precisa por dia. Recentemente, descobriu-se que o kiwi, a fruta, possui ainda uma vitamina até então desconhecida.

Seu nome não era esse. (Eu até já vi seu nome original, mas não me lembro agora. Eu pesquiso e depois edito esta crônica.) Foi do interesse de seu país que a fruta fosse conhecida mundialmente e levasse consigo o nome da ave que é símbolo daquela nação para atestar sua origem. Não achei uma boa ideia. A fruta da Nova Zelândia se popularizou e ganhou o mundo. Mas o animalzinho não é tão conhecido assim e, aqui no Brasil, o kiwi ou é chileno ou nacional. (Tenho um primo que se casou com uma chilena. Eles vieram morar em Tatuí e, quando ela encontrou kiwi na cidade, ficou exultante porque tinha encontrado algo "do seu país") O kiwi fruta soube voar e se adaptou bem em terras distantes.

No Brasil, o kiwi virou até gíria: um homem "kiwi" é homossexual, peludo por fora a "frutinha" por dentro. Existe o kiwi verde e o amarelo. Tem até nossas cores.

Um dia, vi um programa de TV, do tipo culinário, em que tanto o apresentador como o convidado chamavam a fruta de "quive" e não de "quiuí". Fiquei pensando se não estive durante muito tempo falando errado. Mas acho que não porque não encontrei mais ninguém pronunciando assim.

O Globo Reporter de ontem mostrou brasileiros que trabalham na Nova Zelândia na produção de kiwi, quadruplicando seu salário pela mesma função.

Há várias maneiras de consumir um kiwi. Quando estou com pressa, lavo a fruta, corto ao meio e aperto a casca para abocanhar a polpa. Já vi receita para o aproveitamento da casca também, mas acho bobagem. É tão fina e não parece apetitosa. []s