sábado, 20 de maio de 2017

Papel da imprensa local é debatido em mesa-redonda no ‘P. Setúbal’

História de dois tatuianos também foi lembrada em semana nacional

Por O Progresso de Tatuí - 20/05/2017

O papel da imprensa tatuiana tornou-se tema de discussão na noite de quinta-feira, 18, no MHPS (Museu Histórico “Paulo Setúbal”). Profissionais de diversos setores da comunicação debateram sobre o assunto com estudantes da Escola Estadual “Chico Pereira”. O encontro integrou a programação local da 15ª Semana Nacional de Museus.

A atividade – a quinta agendada no âmbito municipal em celebração ao evento – teve início às 19h, no auditório da casa de cultura. A mediação ficou a cargo do jornalista e historiador Christian Pereira de Camargo.

Ele apresentou os profissionais que compuseram mesa-redonda a convite do diretor do Departamento Municipal de Cultura, Rogério Vianna. O secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, também acompanhou a conferência, junto a professores.

Iniciada com explicação, por Vianna, a respeito do propósito do evento, a mesa-redonda teve como participantes: André Aguiar, radialista da Central de Rádio; Flávio Pavanelli, profissional de marketing digital; Rubens Antonio da Silva, do blogue “Diário de Tatuí”; e Cristiano Mota, jornalista do jornal O Progresso de Tatuí e de “O Progresso Digital”.

Vianna explicou que a atividade integra uma temporada cultural promovida em todo o país pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus). Neste ano, o museu de Tatuí participa com exposições, apresentações teatrais, músicas e apresentações de “reclames” antigos (comerciais) de televisão.

Em todas as ações, a temática é “Comunicação Ontem – Hoje – Amanhã”. Dentro deste mote, o museu convocou os profissionais para abordarem os desafios da comunicação, da transmissão da informação e a influência da internet no modo como as notícias são produzidas e repassadas aos cidadãos.

Na mesa-redonda, a programação também incluiu a trajetória profissional de dois tatuianos: o radialista Antonio Del Fiol (Toninho Del Fiol) e o jornalista Maurício Loureiro Gama, ambos com importância nacional, tendo o primeiro falecido em 7 de julho de 2002 e o segundo, em 2 de agosto de 2004.

Descrito como homem do rádio, Del Fiol se tornou o mais famoso garoto-propaganda da televisão brasileira ao estrelar campanhas publicitárias do Mappin. Permaneceu, por décadas, sendo o porta-voz da loja de departamentos fundada em 1913 e que encerrou as atividades no ano de 1999.

Del Fiol também ocupou a posição de principal locutor do “Jornal da Manhã”, na Rádio Jovem Pan (AM). O programa é considerado o primeiro jornal falado de rede nacional do rádio brasileiro, tendo o tatuiano como âncora por mais de 30 anos.

O radialista local trabalhou na divulgação de marcas como Pão de Açúcar, Extra e Jumbo Eletro para Abílio Diniz. Também atuou com profissionais do município, como Pereira de Camargo, quando este atuava no início de carreira.

A trajetória jornalística de Loureiro Gama teve menção pelo repórter de O Progresso. Mota apresentou um breve resumo a respeito do primeiro âncora de telejornal do país.

Loureiro Gama iniciou a carreira em Tatuí, aos 17 anos, escrevendo textos em O Progresso. Depois, colaborou com o jornal “Integração” e, em São Paulo, ingressou no “Diários Associados”, fundado por Assis Chateaubriand.

Dirigiu o “Diário da Noite”, atuou como cronista do “Diário de São Paulo” e registrou passagens pelos jornais “Correio Paulistano”, “Gazeta” e “Clarín”, da Argentina. Na televisão, inaugurou o telejornalismo da TV Tupi, em 19 de setembro de 1950.

Na sequência às citações, os profissionais responderam a perguntas feitas pelo mediador e pela plateia. Instigados por professores, os estudantes do ensino médio questionaram sobre o processo de produção de notícias (fontes de informações) e influência da internet no conteúdo e na publicidade.

Rubens Antonio da Silva descreveu sobre o projeto criado por ele de compartilhamento de reportagens publicadas por outros veículos de comunicação.

Aguiar esclareceu dúvidas relativas à programação, canais para comunicação com o público e posturas sobre assuntos como posicionamento em períodos eleitorais e denúncias eventualmente apresentadas.

O tema também foi explanado pelo representante de O Progresso, que tratou sobre a importância da credibilidade dos veículos tradicionais (como o impresso).

Mota citou, ainda, o investimento recente feito pela empresa de comunicação na modernização do sistema on-line, por meio de “O Progresso Digital”.

Já Pavanelli promoveu reflexão a partir do papel da internet na comunicação digital. Ele ainda discutiu sobre o papel do leitor como agente ativo, quando repassa um conteúdo recebido por meio de compartilhamento.

Trouxe para o debate, também, o conceito da “info-obesidade” (excesso de informação). A questão recebeu atenção de Aguiar e considerações de Pereira de Camargo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário