sábado, 31 de dezembro de 2011

Brasão de Tatuí


Escudo português redondo coroado pela coroa natural de cidade.

Cortado e partido, no primeiro quartel uma brisa, as armas de Cuiabá; montanha ao natural folheada de ouro em campo de sinople (verde).
Um tatu ao natural e um rio de blau (azul) em campo de ouro.

A montanha das armas do Carmo, ao natural, com a sua cruz de prata e as suas estrelas, do mesmo metal, e uma lua crescente de prata tudo em campo de blau.
 
No segundo quartel, um castelo forte de outro sobre o fundo de goles (vermelho).
 
Timbre, um leão nascente de ouro com uma flor de lis de goles de espádua.
 
No listão azul inscreve-se em letras de ouro a divisa da cidade - PER ARDVA SURREXI (do latim, Surgi Pelo Trabalho).
 
Suportes - um ramo de café frutificado à destra e um ramo de algodão à sinistra.
No centro uma roda dentada tudo ao natural.
As armas de Cuiabá lembram a fundação da Vila São João do Benfica pelo bandeirante Paschoal Moreira Cabral.
O tatu e o rio constituem as armas falantes da cidade, traduzindo a etimologia da palavra Tatuhy, do tupi-guarani, Rio do Tatu.
As armas da ordem do Carmo recordam que as terras em que se ergueu a cidade foram uma Sesmaria do Carmo. A lua crescente é o símbolo de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da população católica da cidade.
O castelo forte recorda a atitude dos tatuianos defendendo sempre a legalidade e sacrificando-se heroicamente nas lutas contra o Paraguai.

O leão nascente e o timbre do brasão de armas concedido, em 1807, pelo príncipe D. João, a Manoel Rodrigues Jordão.
Os ramos de café e algodão recordam as duas principais culturas do município e a roda dentada é a representação das indústrias enquanto a divisa "PER ARDVA SURREXI" é a expressão legítima dos tatuianos que tudo fizeram e tem feito pelo seu esforço próprio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário