segunda-feira, 7 de julho de 1986

ANDARILHA

Rubens Oficial

Sob a chuva fria,
passou pela rua uma mulher,
com sua trouxa na cabeça,
chorando,
por não ter onde se abrigar.

Dentro de casa, observando,
alguém comenta:
- Não reclamemos da vida,
olhemos para trás e veremos muitos
que gostariam de estar em nossos lugares...

Dentro do abrigo, alguém ganhou um exemplo.
Mas, lá fora, a mulher andarilha,
que ganhou?

Boituva, 1986

Um comentário:

  1. Publiquei este poema nos jornais Integração (Tatuí) e Folha de Boituva.

    ResponderExcluir