quarta-feira, 12 de maio de 2010

tua ausência

Desde aquele beijo
que me deste sem motivo,
a tua ausência ao meu lado
é como um vácuo em meu ser.
Parece que meu brinquedo
caiu no quintal do vizinho.
Um amor que nasceu tarde, 
justamente na hora do adeus.

Desde aquele sorriso,
intraduzível, artesanado
por um coração desconhecido,
a tua ausência ao meu lado
é como a vida distante.
É como a ventura nos ares
soprados por um tufão.

Desde aquele abraço
acorrentado ao meu pescoço,
me sinto prisioneiro.
E você é a minha liberdade.


Tatuí, 05.09.1979

Nenhum comentário:

Postar um comentário