quarta-feira, 12 de maio de 2010

amor...

Faz alguns meses apenas
que nos encontramos na praça
e você, um tanto sem graça,
até se esqueceu das cenas.

Foi algo sem esperar,
como há tantos iguais.
Eu via em você nada mais
que amiga de conversar.

Mas, quem me vê e me viu,
não sou o daquele dia,
pois o amor (não previa)
nasceu, cresceu e evoluiu.

Você, tão linda e querida,
foi-me bondosa e sincera,
o que, hoje confesso, era
a alegria da minha vida.

O tempo assim foi passando,
o amor em mim foi crescendo,
mas logo fui percebendo:
- você não me estava amando.

Não sei se foi um castigo,
mas o amor que tanto esperava
de você um dia estava
nos braços de meu amigo.


Tatuí, 19.01.1980

Nenhum comentário:

Postar um comentário